segunda-feira, 16 de maio de 2011

  
.aula de dança.
 
"Eu nasci em Alagoas e não fui registrado. Aí eu resolvi que ia embora pra São Paulo. Eu tinha 16 anos mas precisava tirar a reservista, e eu fui no cartório pra fazer o meu registro. Eu nasci em outubro, mas inventei que nasci em maio, e um ano antes, pra poder ficar maior de idade. Aí eu escolhi o dia 12 de maio pro meu aniversário, porque tinha uma música bonita, que eu gostava, que falava dessa data, era uma homenagem. Então eu escolhi o dia do meu aniversário. Ah, é, era 13 de maio, né? Mas eu confundi, achei que era 12, então ficou sendo 12 de maio. Então hoje eu tenho 73 ou 74 anos, depende se conta o dia que eu nasci mesmo, ou o dia que está no registro. Mas o documento é o que vale, não é?"
"Eu desde pequeno ouvi falar que homem tinha que ser sério, assim, sabe? Bem sério, mesmo. Com o meu pai era assim que a gente aprendia. Só agora eu to descobrindo que existe um palhaço dentro de mim."
E de onde vieram os movimentos que vocês fizeram? "De lá, da música." Mas da música, de dentro do aparelho de som? "Não. É que a música entra em mim, dentro do meu corpo, e quando sai se transforma em dança, e saem os movimentos." 

José, 73 (ou 74) anos, depende... CEU Alvarenga.
                 

2 comentários:

Tânia Liberato disse...

Nossa... me emocionei. Sem palavras. Só um sorriso molhado.

M.P. disse...

Muito bom!!! Tô feliz agora! rs