quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

criança que ri homem que foge um que reclama moço que assusta nova velha anão cadeirante bêbado braço cruzado olhos abertos cadeira gargalhada chão ao contrário trem apertado espaço aberto as peles sorriso sortido mãe vó tio filho grupo ignora apaixona passa enquanto espera enquanto passa entra sai jogo inteiro.
 

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

silêncio quando som
silencioso som só sem nada
silêncio só
sou sim somos som
sei
 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

"Todo abismo é navegável a barquinhos de papel" (G. Rosa), tanto quanto "Poesia é voar fora da asa" (M. de Barros). Dos presentes que se ganha quando o público também diz.
 

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Minha tartarugA, que quando já tinha uns 10 anos descobri que era um tartarugO, acaba de botar um ovo gigante e comê-lo em seguida, o que me faz voltar a pensar que é mesmo uma tartarugA. Viva Esmeralda desafiando constantemente a definição de gênero!!
 

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015