quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

olhar que cabe na mão que cabe nas palavras que cabe em imagens que cabem na boca que cabem nos dias que cabem no espaço que é corpo que cabe em corpo.
 

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Como surpresa que intuía, é música sem antes nem ter sabido por som, porque música é em mim o que não domino, não controlo, é o que me atravessa sem pedir. Que bom vir. E ficar
 

terça-feira, 8 de dezembro de 2015